Projeto Berço das Águas é aprovado na Câmara


Publicado em 07/06/2018 Gabinete do Prefeito Secretaria de Agricultura Indústria Comércio e M Fonte: Aline Haag

Através do projeto, o município de Sinimbu busca trazer maior sustentabilidade na utilização do solo e da água nas propriedades.


Na terça-feira, dia 5, dia em que se comemorou o Dia Mundial do Meio Ambiente, a Câmara de Vereadores aprovou o projeto Berço das Águas. Criado pela Emater de Sinimbu, o programa é uma parceria com a Secretaria Municipal de Agricultura.

O programa Berço das Águas apresenta uma proposta que visa promover o uso sustentável da água e do solo, a partir da preservação destes recursos através de técnicas e ações conservacionistas tais como: preservação e recuperação de matas ciliares; proteção e recuperação de nascentes; recuperação e proteção do solo com uso de plantas e; demarcação e implantação de terraços e/ou curvas de níveis. “A base para sustentabilidade da atividade agrícola relaciona-se intrinsicamente na capacidade de os agricultores utilizarem o solo e água de forma racional e sustentável. O uso inadequado destes recursos resulta em problemas para os agricultores e para os ecossistemas locais e regionais”, destaca Paula Sabrina Mallmann, extensionista rural social da Emater.

Conforme o assessor da Secretaria de Agricultura de Sinimbu, César Zitzke, durante os meses de março e abril, palestras foram realizadas em diversas localidades do município. “Nessas palestras falamos sobre o programa e as famílias já realizaram uma pré inscrição”, revela César. Nos próximos dias um técnico da Emater, juntamente com o biólogo Paulo Francisco da Prefeitura de Sinimbu e o vigilante em saúde, Gerson Wojahn, irão realizar o diagnóstico de situação atual nas propriedades das famílias cadastradas, onde inclusive será efetuada a coleta de água na nascente para análise em laboratório.

Conforme dados da Emater, em Sinimbu mais de 50% da população rural utiliza água das nascentes nas UPFs – Unidades de Produção Familiar –, no entanto, não há informações sobre a qualidade e disponibilidade hídrica. Os dados apontam ainda que existem problemas de degradação das nascentes nas UPFs de Sinimbu, causadas por diferentes ações antrópicas como: desmatamento de áreas de preservação permanente e das áreas de recarga hídrica; cultivo agrícola no entorno de nascentes; criação de animais com livre acesso às nascentes e; cultivos em áreas com altas declividades sem o uso de técnicas para minimizar o escorrimento superficial da água e a erosão do solo. Essas práticas, na maioria das vezes implicam na perda da capacidade de infiltração das águas das chuvas que abastecem o lençol freático.

Paula explica que empreender esforços no sentido de preservar o solo e a água - nas UPFs -justifica-se, pois promove maior sustentabilidade na agricultura local e menor impacto nos recursos ambientais. “Sinimbu por sua localização e condições geomorfológicas é um importante produtor de águas para a sociedade local e regional, motivo pelo qual foi escolhido como nome do projeto Berço das Águas”, finaliza.

PrefeituraSinimbu
Aprovação aconteceu na terça-feira, dia 5, dia em que se comemorou o Dia Mundial do Meio Ambiente. (Divulgação)